Organizar uma  viagem tão  longa e  para um destino pouco explorado por brasileiros é, de fato, desafiador.  Múltiplos países, vistos, diferenças geográficas, climáticas e culturais nos dão a sensação inicial de que não é possível vencer essa tarefa sem ser um profissional. Mas essa  missão é super possível quando temos  a nosso favor o Oráculo   Google.

Já existem sobre a Ásia inúmeros blogs e sites de viagem em português, e outros tantos em inglês ou espanhol. Além disso,  a venda de passagens e reserva de hotéis online facilitou imensamente a vida dos viajantes,  e várias empresas locais disponibilizam sites e comunicação por e-mail em língua inglesa,  o que permite a contratação prévia de passeios e compra de ingressos, transfers, guias bilíngues, etc. Então, mãos à obra!!

 

1o Passos para  Organizar seu  Roteiro para Sudeste Asiático


1 – Faça um tour virtual

 Sugiro, antes de mais nada, que você se permita ser fisgado pelos encantos do Sudeste Asiático. Como diria Ricardo Freire: “Viaje na viagem”. Namore muitas fotos, explore blogs e sites de viagem, veja as cidades mais visitadas, as atrações de cada lugar, e deixe que sua curiosidade te guie, link após link, neste desbravamento virtual que te dará um panorama geral sobre a região. Inicialmente, leia sem a preocupação de anotar muitos nomes ou detalhes, mas crie uma pasta de favoritos, e salve ali as páginas que forem interessantes e contenham informações mais completas para pesquisa futura. Peça também alguns roteiros e orçamentos de agências especializadas , para ir se situando sobre valores, destinos mais recomendados e tempo dedicado a cada atração.

Agora o mais importante nessa etapa, descubra o que te encanta! Se você chegou até esse post, tenho certeza de que em algum momento da sua vida existiu uma foto do Sudeste Asiático que fez teu queixo cair e acendeu dentro de você a curiosidade de conhecer essa região pessoalmente. No meu caso, a “culpa” foi de uma foto do Yee Peng, o festival de lanternas em Chiang Mai – foi amor à primeira vista,  mas ao final dessa etapa de investigação fui tomada por outras paixões   e  acrescentei à minha lista: vôo de balão em Bagan, Budha Park no Laos, Ankor no Camboja,  Hoi An  no Vietnã e Ilhas paradisíacas da Tailândia.  Atrações espalhadas por  cinco países diferentes, que fizeram meu coração parar por um segundo quando me deparei com as primeiras imagens de cada um deles, e que até hoje me emocionam.

Olhares pelo mundo Festival de lanternas Tailandia

*Foto:  Fernanda Carvalho

Mas essa lista poderia ser completamente diferente: há pessoas que procuram a Ásia por questões espirituais, em busca de  meditação e mestres de sabedoria, querem conhecer sues  templos, monges e rituais;  outros buscam marcos históricos, querem conhecer as ruínas do império Birmânico e  Reino de Sião,  percorrer os  túneis da guerra do Vietnã e explorar os museus;  muitos querem contato com a natureza, percorrer trilhas pelos arrozais vietnamitas, navegar de caiaque entre as ilhas da Bahia Halong, mergulhar entre plânctons bioluminescentes e escalar paredões em Railey Beach; alguns outros querem aproveitar a oportunidade para compras; sempre existe a turma das baladas, que vai curtir a noite em Bangkok e as loucas festas de Koh Phagan; tem gente que só quer namorar no sossego de um resort com vista pra uma praia paradisíaca; e eu, que sempre quero de tudo nas minhas viagens!

Enfim, as opções para sua lista de desejos são inúmeras e bem variadas, descubra o que te move!  Essa lista  pode ter apenas um item, ou pode ter vários, mas esses tópicos devem representar a essência da sua viagem, e serão seu guia em todas etapas do planejamento.

2- Quando ir?

Agora que você se convenceu das maravilhas que te esperam do lado de lá do planeta, pesquise sobre o clima da região. Você vai encontrar relatos de experiências desastrosas no sudeste asiático por terem escolhido a época errada para viajar. A questão aqui não é decidir sobre regatinhas ou casacos, e sim o risco de enfrentar tempestades cinematográficas durante toda a viagem.

O verão no Sudeste da Ásia é marcado pelo fenômeno das monções. O aumento de temperatura muda a direção dos ventos, que passam a ir do Oceano Índico para o continente,  levando grande quantidade de umidade  e precipitando chuvas torrenciais, alagamentos e tufões que podem durar dias ininterruptos. Portanto, regra número um para os viajantes: fuja do período das monções! Resista à tentação de comprar passagens promocionais restritas à essas datas.

olhares pelo mundo monções asiaO período ideal para organizar sua viagem é entre os meses de Novembro e Março , que corresponde ao inverno de lá. Em geral, o clima continua quente e úmido nessa época, mas as temperaturas são mais amenas, entre 25-35°C (sim, você leu certo, esse é o “inverno”) e a probabilidade de chuvas é bem reduzida nesses meses. Observe no entanto, que o período de monções varia de um país para outro e em diferentes regiões do mesmo país, sendo necessário uma pesquisa mais específica para cada região se  quiser evitar surpresas desagradáveis. Lembre-se também que o período mais seco é a alta temporada da região e, naturalmente, os preços estarão mais altos e algumas atrações mais concorridas. Por isso antecedência no planejamento pode fazer muita diferença. Na dúvida, adie seus planos! 

 

3- Quantos dias você tem?

Defina o máximo de dias que você pode dispor para a viagem. Considere que entre o Brasil e a Ásia existem dois oceanos e dois continentes e inteirinhos!!! Desconte pelo menos dois dias na ida e dois na volta para o trajeto Brasil-Asia. A depender das escalas e da intensidade do jet lag, considerar mais um ou dois dias perdidos em cada um desses deslocamentos. Por isso, 3 semanas é o mínimo que recomendo pra se considerar a Ásia como destino, isso daria uns 15 dias líquidos por lá,  que é bem pouco pra quem vai enfrentar tantas horas de avião e passagens internacionais que representam uma fração significativa do orçamento total. Nossa viagem teve duração  de 38 dias, ou seja, uns 32 por lá e, mesmo com todo o planejamento prévio, é um período curto para conhecer 5 países e muitos locais interessantes ficaram de fora. Por isso, planeje o máximo de dias possíveis  para a viagem e  foque seu roteiro naquilo que você considera imperdível.

4- Pré-requisitos

A partir da “lista de desejos”, definida na primeira etapa, faça a relação dos países apontados  e verifique os trâmites burocráticos para entrar em cada um deles. Pesquise no site das embaixadas e consulados, mas busque também informações nos blogs e redes sociais com quem tenha viajado para a região recentemente, pois nem sempre as informações são claras nos canais oficiais.

O essencial nessa fase:

– Validade do passaporte: geralmente são exigidos passaportes válidos por pelo menos 6 meses além da data de ingresso no país

– Documentos, taxas e procedimentos para emissão de vistos:  Tailândia por exemplo, não exige visto de brasileiros, para Laos e Camboja é possível conseguir o visto ao desembarcar no aeroporto, já Vietnã e Myanmar são mais exigentes com a documentação e o visto deve ser emitido antes da viagem.

– Duração de cada visto e número de entradas permitidas no país: esse item é importante porque alguns países emitem visto para 6 meses, 3 meses, outros 30 dias, etc. Além disso alguns permitem múltiplas entradas, outros cobram um novo visto a cada ingresso no país, mesmo que o seu primeiro visto ainda esteja no prazo de validade. Essa informação deve ser considerada ao se organizar a sequência das cidades que serão visitadas, para evitar reentradas em países que cobram novo visto.

olhares pelo mundo documentos visto Myanmar (2)

Documentos exigidos para o visto de Myanmar

*Foto:  Fernanda Carvalho

– Vacinas Obrigatórias e Recomendadas: a vacina contra Febre Amarela é obrigatória para os 5 países que visitei. Ao desembarcar em alguns deles, tivemos que apresentar o Certificado Internacional de Vacinação antes mesmo de passar pela imigração. Lembrando que a validade da vacina contra febre amarela era de 10 anos, mas passou a ter validade vitalícia. Se você não puder comprovar  vacinação prévia, deve repetir a vacina pelo menos 10 dias antes de sua viagem  para poder embarcar.  Outras vacinas como Hepatite A e B, Febre Tifóide, Tétano/Difteria não são obrigatórias, mas são recomendadas.

olhares pelo mundo certificado internacional de vacinação
Certificado Internacional de Vacinação

*Foto:  Fernanda Carvalho

– Moeda e Câmbio: Cada um dos cinco países por onde passamos, utiliza uma moeda diferente, mas o dólar é bem aceito em hotéis e agências de passeios. Nas cidades mais turísticas é possível usar o dólar também nos restaurantes, lojas e até mesmo em feiras, mas em geral o câmbio é desvantajoso para nós.

Recomendo então que leve dólares e troque por moeda local em pequenas quantidades,  conforme necessidade. Há casas de câmbio em todos os aeroportos, mas as taxas  de conversão costumam  ser piores.  Ao desembarcar em um novo país,  fazíamos o primeiro câmbio no aeroporto, mas apenas  o suficiente pra pagar o táxi, alimentação e cobrir algum outro gasto imediato, depois procurávamos por casas de câmbio ao longo das nossas andanças pela cidade. [Agora vou te dizer…Quando a gente começava a se acostumar com as notas e já estávamos craques em converter mentalmente os valores, trocávamos de país e começava tudo de novo! Oh, my Budha!! Mas faz parte da diversão, e a verdade é que ficávamos encantados com cada nova cédula que chegava a nossas mãos, e no final dava dó se desfazer daquele dinheiro tão colorido e desenhado].

Existem também terminais ATM para saque em espécie na maior parte das cidades, mas as taxas são salgadas, portanto recomendo  esse sistema apenas em último caso. Nós utilizamos um ATM apenas uma vez, no Camboja, porque a taxa de visitação dos templos só podia ser feito em moeda local,  e não havia tempo para procurar uma casa de câmbio antes do passeio (que começava às 5h da manhã pra pegar o nascer do sol no Ankor Wat).

Fizemos todas as  reservas  de hotel e  passeios mais caros com cartão de crédito internacional, ainda do Brasil, mas a maior parte dos estabelecimentos não debitava esses valores, e permitia o pagamento em dinheiro local ou dólar. De qualquer forma, lembre-se de levar os cartões utilizados para as reservas online, pois alguns estabelecimentos exigem o cartão físico pra confirmar sua identidade (inclusive empresas aéreas).

olhares pelo mundo moeda sudeste asiatico

Cédulas de: Camboja, Tailândia, Laos, Vietnã e Myanmar, respectivamente

Outras questões como:   É permitido entrar por terra ou só pelos aeroportos?  Posso dirigir nesses países com minha CNH? Como é a comunicação com os locais nessa região? Existe nesse momento alguma situação social ou política que me impeça de visitar esse país? Algum entrave diplomático? Guerra? Catástrofes naturais?  Enfim, quaisquer circunstâncias que possam inviabilizar sua entrada no país ou demandar um tempo maior para organização.

5 – Qual seria seu roteiro ideal?

Bem, até aqui você pesquisou muito, fez um levantamento dos países e cidades que te interessam e já sabe o que é necessário para ingressar em cada um. Então é hora de colocar no papel o seu roteiro teórico. Estabeleça nessa sequência:

– países escolhidos,

-quais cidades você gostaria de visitar em cada país,

– atrações você pretende conhecer em cada cidade e o tempo mínimo para cada uma delas. Anote também custos para cada passeio, ingressos e taxas.

Para essa etapa, lance no Google pesquisas como: “quais as cidades mais visitadas na Tailândia”,  “o que fazer em Hanói”,  “quantos dias ficar em Chiang Mai”,  “passeio de Balão em Bagan”,  “como mergulhar nas ilhas da Tailândia”,  “quantos dias para visitar os templos do Ankor”,  “o que fazer na noite de Bangkok”, e assim por diante.

Obviamente, as respostas serão diversas, mas à medida em que você vai se identificando com algum perfil de viajante, percebe que as recomendações são parecidas, variando em 1 ou 2 dias pra cada cidade a depender de passeios nas redondezas que você queira ou não incluir. Ainda não se preocupe em fazer tudo caber nos dias que você tem disponíveis, a ideia aqui é fazer um “mapaemento” de todas as opções do seu interesse, tudo que poderia compor seu roteiro. 

 H07QQ5ZX7S

E assim encerramos mais essa etapa do planejamento.   No próximo post, os últimos 5 passos para fechar o roteiro  perfeito:

6- Defina marcos

7- Monte o quebra-cabeça

8- Seguro Viagem e Hospedagem

9- Roteiro dia a dia

10- Organize suas reservas

 

Aguardem!

Kuang Si Falls (58)